De que forma as organizações relacionáveis estão a conquistar mentes e corações 

Para triunfar na era das pessoas, as organizações devem atuar com humanidade – relacionando-se com os colaboradores não apenas como trabalhadores, mas também como partes interessadas no sucesso da empresa.

As organizações estão a evoluir com os tempos em mudança e a liderar com um modelo alargado de partes interessadas. Após a pandemia, os líderes tornaram-se extremamente conscientes de um futuro do trabalho orientado para as pessoas - em que os valores são o ponto de viragem para a mudança.

Neste capítulo de A organização centrada nas pessoas, desenvolvida pela Mercer e pela Thinkers50, Kate Bravery analisa algumas das conversas abertas que responsáveis de negócio estão a ter sobre ambientes de trabalho sustentáveis, Bom trabalhoe a criar uma relação mais simbiótica entre a tecnologia e humanidade. As organizações que se esforçarem por se manterem mais relevantes, responsáveis e relacionáveis neste panorama são as que acabarão por prosperar.

Cinco áreas em destaque para as organizações relacionáveis

Detalhamos abaixo como as organizações líderes estão a esforçar-se para serem mais relacionáveis de cinco formas importantes. As organizações relacionáveis estão a:

  1. Redefinir-se para efeitos de relevância
  2. Trabalhar em parceria
  3. Proporcionar bem-estar total
  4. Criar condições para a empregabilidade
  5. Aproveitar a energia coletiva
Os colaboradores de todas as gerações já não estão dispostos a sacrificar o dia de hoje por um amanhã mais promissor; querem que as coisas melhorem agora. As organizações que agem com humanidade e criam locais de trabalho mais centrados no ser humano triunfarão na era das pessoas.

Uma conversa com a Kate Bravery 

 

 

    Sobre o(s) autor(es)
    Soluções relacionadas
      Perspetivas relacionadas